Soulfly: Max Cavalera fala sobre o novo álbum e despedida do Slayer

Notícias Internacionais

Chuck Marshall da Metal Wani recentemente realizou uma entrevista com o atual Soulfly/Cavalera Conspiracy e ex-líder da SepulturaMax Cavalera. Você pode ouvir todo o bate-papo (em inglês) abaixo. Seguem alguns trechos (transcritos pelo Blabbermouth e traduzido pela Roadie Metal):

Se a recente turnê “Max And Iggor Cavalera Return To Roots” comemorando o 20º aniversário de “Roots” do Sepultura teve impacto no próximo álbum de estúdio da Soulfly:

Max: “Eu acho que todas as turnês que fizemos tiveram um impacto em tudo o que fazemos. Penso que a turnê do ‘Roots’ teve um grande impacto no em ‘Psychosis‘. Você não o escuta na música, mas é mais sobre a energia e a atitude do álbum. Sentimos essa energia da multidão, dos fãs e nós a levamos diretamente ao estúdio e foi demais fazê-lo assim. O mesmo com o Soulfly. Eu acho que saímos da turnê do Nailbomb e fomos direto ao estúdio e, enquanto estou lá, gosto de lembrar os grandes shows e as grandes multidões e por que fazemos isso. É muito legal, cara. É realmente significativo, toda essa música de Metal que fazemos, ela atinge e toca tantas pessoas. A decisão de fazer um pouco mais de coisas tribais, era meio semelhante ao meu desejo de revisitar o passado. Eu estava ouvindo algumas coisas antigas do Soulfly e foi realmente legal, especialmente o primeiro disco. Eu estava realmente inspirado por esse registro e eu queria rever esse tipo de som a um pouco com uma mistura das coisas que estou fazendo agora, isso é muito legal. O registro acabou… é uma mistura. Há algumas músicas que têm esse sentimento tribal, realmente pesado, realmente Groove, toda a percussão em cima disso. E alguns deles são apenas insanos; Há momentos Hardcore, Death Metal, Black Metal, todos misturados. É um pouco de todas as coisas que eu escuto. Adoro o Metal em geral. Estive ouvindo muitos o novo do Genocide Pact, o que é fantástico. Harms WayImmolationSuffocation, eu amo tudo isso. Então, isso entra na minha música, de alguma forma. Só chega lá e acaba por lá. Então, há muita coisa legal e rápida. Fiquei muito feliz porque meu filho [Zyon] toca bateria e eu o pressionei para tocar rápido e ele fez. Há um pouco de Blast Beats neste álbum, que são bastante legais. Por essa parte, acho que o álbum será legal. Eu acho que as pessoas vão curtir tanto as músicas tribais quanto as músicas mais rápidas. Acho que é um álbum Tribal Thrash, na verdade, é muito legal, nunca foi feito assim. O material tribal misturando-se com as coisas Thrash de uma maneira enorme. Eu acho que esse é o melhor tipo de descrição do novo Soulfly. Sim, “Thrash Tribal“. Eu acho que isso parece muito legal.

Sobre se o novo álbum de estúdio do Soulfly terá todos os elementos encontrados em sua estréia auto-intitulada de 1998:

Max: “Eu acho que sim. Não é uma cópia do primeiro disco, mas há algumas coisas que me fazem lembrar. Penso que a energia bruta é semelhante ao primeiro álbum. Eu acho que é perfeito fazer esse registro. Penso que é apropriado e foi o registro certo para fazer agora. A gravação com Josh Wilbur também foi ótima. Ele ajudou muito em tudo, desde a bateria até muitas idéias legais. Todos nos sentimos muito confortáveis. Acho que é um registro perfeito para sair depois de 20 anos. É o nosso 11º álbum e estamos muito entusiasmados com isso.

Sobre a turnê de despedida do Slayer:

Max: “Eu não sei, não é para mim. Provavelmente nunca vou me aposentar. Eu quero morrer fazendo isso. Eu quero tocar até que eu não possa mais fazer isso, então podem me enterrar. [Risos] Mas, é uma coisa de escolha, é o seu jeito, é o que eles querem fazer, você deve respeitar isso. Eu os amo, eu acho que eles são uma grande banda, eles são ótimas pessoas. Eu conheci todos eles, trabalhei com Tom Araya em ‘Terrorist‘ [do álbum “Primitive” de 2000] e foi ótimo. Foi uma grande honra, você sabe, há uma parte de mim que ficará triste, porque eles são uma banda tão grande e sempre liberando excelente música. Eu já fui vê-los tocar ao vivo algumas vezes e foi ótimo. Nós fizemos a turnê Soulfly/Slayer no início dos anos 2000 e foi demais. Sim, vamos sentir falta deles, mas tenho certeza de que eles encontrarão outras coisas para fazer. Estou certo de que Kerry King provavelmente fará outra coisa com outra pessoa.

O novo álbum do Soulfly deverá ser lançado neste verão através da Nuclear Blast.

Max acaba de embarcar para o Canadá na turnê “Point Blank With Soulfly“, onde a banda está tocando o álbum de estúdio solitário do Nailbomb, “Point Blank” de 1994, na íntegra.

Fonte: Roadie Metal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *